VIVENDO O SOBRENATURAL DE DEUS

Ele largou tudo no Chile, veio para o Brasil, passou fome, mas a promessa do Senhor se cumpriu na vida do Pastor Victor Hugo

Desde pequeno, Victor Hugo Alvarado Inostroza tinha dois sonhos: ser marinheiro ou pastor. E Deus escolheu uma forma incrível para que ele pudesse realizar seu projeto. “Sempre fui crente, mas meus pais não eram. Sou de uma família católica, mas desde pequeno, minhas  avós me levava com ela aos cultos evangélicos. Gostava muito, mas achava que só mulher podia ser crente, pois nos cultos via velhas senhoras”, conta Victor Hugo.

Victor Hugo nasceu numa família muito pobre, numa cidade no interior do Chile. Como o pai era perseguido político, conseguir trabalho era difícil. Para complicar ainda mais a situação, Victor Hugo era o filho diferente do casal: o único moreno (entre cinco irmãos loiros). Por causa disso, ele não tinha o amor do pai, que, pelas dificuldades financeiras, bebia  todos os dias batia em Victor Hugo.

Com 5 anos de idade, em uma surra, ele teve traumatismo craniano e desenvolveu epilepsia, até a vida adulta, quando Deus transformou sua vida. Apesar da situação difícil, Victor Hugo não deixou seus sonhos morrerem. “As Surras iam formando a minha personalidade. Hoje posso dizer que Deus usa os bêbados. Quando penso na minha história, isso me dá coragem, hoje vejo que Deus pode mudar a história, que é possível sonhar e que a tempestade é a oportunidade para que todos possam ver a glória de Deus”.

A fé é a base de tudo, é o que permite o agir de Deus na vida das pessoas. E fé é nunca faltou ao jovem chileno. Mesmo com todas as adversidades, Victor Hugo seguiu junto a Deus durante toda sua juventude. Mas a tristeza e a doença,  tinha data marcada para acabar. Um dia, com 17 anos, ele entrou em uma igreja a convite da irmã, e disse: “Deus, o Senhor realmente é o Senhor da minha vida, e se quiser, você pode me curar.”

Ele aceitou Jesus, foi batizado no Espírito Santo e foi curado. Foi aí que sua história começou a mudar. Durante a oração de entrega, Victor Hugo fez um voto prometendo que, curado, pregaria a palavra de Deus.  Alguns anos se passaram desde a conversão, mas os planos de Deus não tinham mudado. “Formei em contabilidade, tive uma grande empresa com 63 clientes. Um dia, uma irmã que não me conhecia direito me chamou e me disse: ‘Você fez um voto, e agora é hora de cumprir’.”

Foi ai que ele largou tudo. Na igreja recebeu apoio de parte dos irmãos, mas não da liderança. Viu então ele só podia contar com Jesus. No dia seguinte, informou a cada cliente o fim da empresa. Quando chegou ao último, este o informou que havia um senhor na porta da loja que o esperava desde cedo.  Ele procurou o senhor que orou assim: “Senhor, cuida do seu filho. O abençoe em seu ministério no Rio de janeiro”.  Victor Hugo veio para o Brasil apenas seis dias após a irmã falar com ele.

No Rio de Janeiro passou dias dormindo na rodoviária e se alimentando de marmitex com arroz e feijão. “Perguntei a Deus o que ele queria. O dinheiro foi acabando. Pregava em algumas igrejas, mas recebia dinheiro. Eu só comia uma vez por dia, às 5 da tarde. Eu não falava a língua, não tinha nada, mas tinha o mais importante: a promessa. Quando se tem promessa de Deus, não pode impedir o cumprimento dela. A única pessoa que pode impedir é você”.

Em dias de muita fome, ele orava pedindo a Deus que ungisse sua barriga. Certo dia uma mulher apareceu e disse: “Hoje ninguém te conhece, mas um dia terão que agendar uma pregação com você com um ano de antecedência. ” Ela a levou. Nesse dia ele participou de um congresso na cidade. “Nunca fui impactado por uma mensagem como naquele dia, foi um divisor de águas na minha vida. No fim da pregação, o preletor desceu do altar, entrou no meio da multidão e foi andando até onde eu estava, e me perguntou: onde estão suas malas? Vá buscar que te espero aqui às 7hs para te levar para a Vitória”, conta o chileno.

Victor Hugo foi acolhido como filho na casa desse Pastor. O ministério do jovem começou. Na casa dele o chileno conheceu a esposa, que era sobrinha do pastor. “Hoje me vejo como um exemplo para as pessoas que passaram o que eu passei. O líder tem que fazer o povo acreditar nos sonhos. Se o líder não acredita na ovelha, quem vai acreditar? Não aceito que um crente fale que não vai conseguir. Por meio da minha vida, Deus mostra que tudo é possível com Ele. Não adianta ficar em casa sonhando. Temos que agir sermos ousados.”

 “Quando eu saí do Chile, um pastor me disse que eu nunca seria pastor. Chorei. Ao chegar em casa, entrei no quarto e comecei a pregar sozinho. Minha dor era tão forte que sem notar, comecei a falar em voz alta. Fiquei um bom tempo no quanto e, quando saí, meus dois irmãos mais novos aceitaram Jesus. É possível sim!”, relembra .