SUPERANDO A ESTERILIDADE

Esperar em Deus o milagre de gerar filhos mesmo com diagnósticos médicos contrários e a incredulidade de amigos e familiares, significa passar por uma grande prova de fé

 

Casais de todas as idades e classes sociais desejam ter filhos para concretizarem o sonho de formar uma família. Para o Pr. Arlindo Moreira da Costa, 66 anos, e a Missionária Lucimar Nogueira da Costa, 48 anos, este sonho foi alcançado depois de esperarem por onze anos. Veja nesta entrevista como eles tiveram forças e fé para superarem o ventre estéril, duas gestações psicológicas e erros médicos. Hoje eles tem um filho de três anos que batizaram por Emanuel.

- Como foram as gestações psicológicas antes de engravidar do Emanuel?

Missionária Lucimar: Ao casarmos em 1997, fomos morar no Rio de Janeiro e, após cinco anos de casada, comecei uma gravidez psicológica. Eu sabia que era estéril e que não engravidaria naturalmente. Minha barriga começou a crescer e realmente acreditei que estaria grávida. Até que um dia uma irmã missionária foi até a minha casa e ao orar por mim ela me deu um recado de Deus que eu não estava grávida. Ela foi tomada pelo Espírito Santo de Deus e o Senhor me mandou o recado, "terás um filho varão que se chamará Emanuel." Depois disso, voltamos para morar em Teófilo Otoni e comecei novamente com outra gestação psicológica. Desta vez, ganhei várias coisas e até enfeitei o quarto. Mas, era novamente psicológico.

- Como foi para o casal passar por este processo destas gestações psicológicas?

Pr. Arlindo: Foi muito difícil pra nós, pois, somos bem conhecidos aqui na cidade, não foi nada fácil. Começam a vir questionamentos sobre sua fé, se você realmente serve a um Deus vivo e se de fato você tem direcionamento do Senhor.

Missionária Lucimar: Nesta ocasião meu marido ficou muito chateado com tudo e foi pra São Paulo por três meses. Então ele retornou de lá para me buscar e passamos uns meses lá.

- Conte-nos como foi o retorno para Teófilo Otoni e a gestação do Emanuel.

Missionária Lucimar: Após esse período em São Paulo, o Senhor nos trouxe novamente pra Teófilo Otoni, Deus nos ordenou voltar e ficar aqui. Ao voltar pra cá, moramos na casa onde é hoje a igreja e logo Deus providenciou essa casa que moramos. Neste momento então ele me disse: "tu ficarás grávida naquela casa". Mudamos pra cá e Deus me mandou recados que ficaria grávida dentro de seis meses. Então comecei a ter ânsia de vômito, implicar com o meu marido e a ter urgência urinária. Fui ao médio grávida de aproximadamente seis meses e ele disse que eu deveria estar com vermes e na menopausa. Fui tomando os remédios que ele me prescreveu e quanto mais tomava mais cansada e inchada eu ficava. Quando eu comentava o que sentia, o que estava passando, algumas amigas comentavam que eu deveria estar grávida e eu dizia, "Deus me livre disso"!

Pr. Arlindo: Os erros médicos foram impressionantes em toda essa nossa trajetória das gestações psicológicas e do nascimento do Emanuel. Nesta vez que ela foi medicada contra vermes, foi prescrito um remédio bem forte e de dosagem única. Quando a vi deitada zonza no sofá fui levado a repreender o medicamento errado para vermes. Em instantes ela se levantou e foi ao banheiro vomitar todo aquele medicamento. Não tínhamos a comprovação, mas, ela já estava de fato grávida. Reconhecemos o quanto apesar de tudo, o Senhor preservou a saúde dela e do bebê. E mesmo com toda a razão, jamais recebemos o direcionamento do Senhor para buscar processar qualquer profissional ou instituição de saúde.

- E como foi quando soube que estava realmente grávida?

Missionária Lucimar: Eu estava na igreja ministrando o louvor e senti um líquido quente nas minhas pernas. Era a bolsa que tinha se rompido e eu pensei que seria algum problema com meu sistema urinário. Fomos para o pronto socorro, expliquei as dores no meu ventre e o médico me disse que eu deveria procurar um ginecologista e me passou duas injeções para diminuir as dores. A enfermeira que estava no plantão me perguntou, será que a senhora não está grávida? Deus me livre, prontamente respondi! De fato não queria novamente passar por toda aquela expectativa de novo. Voltei pra casa, jantei e fui dormir. Somente no outro dia cedo fui ao posto de saúde pra fazer uma ultrassom e ver o que de fato estava acontecendo comigo. Pensei que poderia ser um mioma que cresceu e cheguei a comentar com o médico e a enfermeira. Ao colocar o aparelho na minha barriga o médico disse: Olha aí mamãe o seu mioma! É uma criança! Ele pediu que mandassem avisar o meu esposo em casa. Lembro-me perfeitamente do médico fazer a anotação no meu atendimento: gestação sem pré-natal.

 

- Então a senhora já seguiu do posto de saúde para ganhar o bebê?

Missionária Lucimar: Sim! Ao chegar no hospital fui me preparar para ter o Emanuel e me lembro de ir trocando a roupa, tirando a aliança, pedindo a Deus perdão e graça. Que o meu filho nascesse uma criança saudável e sem sequelas. Muitas e muitas vezes durante a gravidez, eu repreendia o que estava acontecendo comigo como se fosse uma doença. Repreendida o que estava acontecendo no meu corpo por conta do diagnóstico errado e por já ter passado por duas gestações psicológicas.

- E como foi o parto?

Missionária Lucimar: Durante todo o parto, que foi uma cesariana, eu fui falando em mistérios de oração com Deus, foi uma experiência especial pra mim. O médico não sabia de nada da minha história mas ele dizia, esse aqui deve se chamar Emanuel! Assim que ele nasceu a enfermeira me disse olha aqui que saudável, que lindo! Quando sai da sala do parto, o meu filho foi colocado no meu colo no quarto e o lugar já estava forrado de presentes!  Eu conhecia as enfermeiras do hospital e elas ficaram maravilhadas com tudo o que estava acontecendo comigo! As conhecia de campanhas de oração, mas, a equipe médica eu não conhecia.

 

Pr. Arlindo: Foi um rebuliço no hospital! Várias pessoas foram pra lá, mesmo pessoas que não conhecíamos, pois a repercussão da história atraiu as pessoas. A notícia se espalhou e o nome do Senhor foi exaltado! Nosso filho é uma criança que nos alegra muito! Todas as noites antes de dormir ele já me diz: "ore papai, ore papai", e então ele só dorme depois que oramos. Vejo nisso o favor do Senhor em nos presentear com uma criança tão carinhosa e especial.

- Qual mensagem vocês gostariam de deixar para casais que sonham em realizar o desejo de ter filhos e não conseguem?

Missionária Lucimar: Depois que o Emanuel nasceu, eu sabia que seria para testemunhar da glória, da presença de Deus em nossas vidas. As pessoas que não nos conhecem acham que ele é meu neto, que ele não é meu filho e se surpreendem ao saber da nossa história. Mulheres estéreis já aceitaram a Jesus e se converteram ao evangelho com o meu testemunho. E eu creio na promessa de Deus de me dar mais um filho!

Pr. Arlindo: Pra vivermos não precisa de muito dinheiro. Precisamos do favor do Senhor, da paz e providência que vem Dele. Nossas vidas são para servir a Ele. Um Senhor que nunca nos deixa envergonhados. Eu não sei qual a dificuldade das pessoas que vão ler esta matéria. Mas, pode ter certeza que tudo o que você tem colocado diante do Senhor, Ele pode fazer, Ele pode mudar!  Basta confiar no que o Senhor diz e as profecias se cumprem. Pra ele não importa a idade, as promessas se cumprem em nossas vidas! Temos que ter paciência e esperarmos no Senhor. Se ha fé, a palavra se cumpre. Passamos lutas, muitas lutas! As vezes até mesmo com questionamentos de amigos e irmãos, pois, passar pela gravidez psicológica foi uma prova muito, muito grande! Mas, aprendemos que não precisamos lutar com a carne, precisamos conhecer a força espiritual que só pode vir do nosso Deus!


por Oade Andrade