PRINCESA LINDA DEMAIS

No ano de 2008, Raquel e Cristiano, um jovem casal que havia se unido em matrimônio segundo os planos do Senhor, decidiram que estava na hora de terem um filho. Mas depois de alguns exames de rotina, a médica da jovem a diagnosticou com ovário policístico. Durante todo aquele ano, Raquel fez tratamento tomando medicamentos para limpar o útero. Dia 15 de dezembro foi a data marcada pela médica para mais uma consulta para que pudessem ser realizados exames mais profundos, já que a tão sonhada gravidez ainda não tinha acontecido. “No caminho para o consultório eu orava baixinho dentro do ônibus falando com Deus: Senhor eu creio que Tu és um Deus de milagre e mesmo que eu não engravide continuarei crendo no seu poder, ” lembra Raquel.

 

Ao chegarem para a consulta a médica brincou com o jovem casal: “ah vamos fazer uma ultra, quem sabe não tem um presentinho ai para nós? E durante o exame, ela ficou um tempão olhando o monitor do computador e eu pensei: pronto estou com mais ovário policístico. E foi nessa hora que a médica virou o monitor par a mim e o Cristiano e falou: aqui o seu bebê. Nesse momento, nós vimos o saco gestacional e ficamos eufóricos de tanta alegria”.

 

A gravidez correu tranquilamente, sem nenhum problema. No dia 10 de julho, outra consulta de rotina e a gravidez já estava no oitavo mês. Foi aí que durante outra ultrassonografia a, a médica perguntou ao casal se já haviam visto o rostinho do bebê. A resposta do casal foi negativa, pois o bebezinho sempre estava com o dedinho na boca, impossibilitando uma visualização mais completa. Então a médica informou ao casal que suspeitava que a pequena Laura pudesse ter lábio leporino, mas que, como o equipamento dela já era antigo e ela não estava conseguindo ver direito era necessário outra ultrassonografia a num equipamento mais modero. Esta consulta foi numa sexta-feira à tarde, o que fez com que o casal tivesse que aguardar até o início da semana para que o diagnóstico pudesse ser confirmado. “Na terça feira conseguimos uma consulta com o médico indicado e foi confirmado o diagnostico de fenda palatina e lábio leporino. Ficamos sem chão choramos, tivemos nosso momento de luto, mas isso durou 1 dia. Porque assim que tivemos a confirmação apresentamos a situação a nossos pais, familiares e para a Igreja onde nos reuníamos que era em Salvador, e então começou nosso refrigério, começamos ver Deus agir” conta Raquel.

 

A Jovem lembra ainda que eles receberam uma palavra do tio dela, que já havia sido seu pastor na infância, e ele disse para que eles colocassem sua causa para a Igreja, pois ela precisava ser uma com eles. E foi o que fizeram. “Nós recebemos isso no nosso coração, começamos a pedir oração para todos as localidades onde tínhamos contados e de repente, toda a Igreja de Manhuaçu, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Viçosa, Cristiano Otôni, Conselheiro Lafaiete e Salvador sabia da nossa causa e estavam orando por nós. Começamos a receber telefonemas, e-mails com palavras, orações, canções e sonhos de que Deus estava conosco e que o milagre aconteceria. Foi o momento mais lindo que passamos onde podemos contemplar a unidade da Igreja e ver o amor de Cristo por nós através desses irmãos”, relembra Raquel emocionada. O jovem casal fez ainda, o propósito de, até o nascimento da pequena Laura, acordarem toda madrugada para orar pela vida dela, porque eles criam na cura, criam que se Deus quisesse esse diagnostico poderia ser mudado, e o mais lindo é que dois casais de amigos decidiram fazer o mesmo por eles, então, quando se levantavam para orar, sabiam que mais 4 pessoas estavam em suas casas orando junto com eles. “Foi maravilhoso esse tempo em nossas vidas” conta Cristiano. Dia após dia, Deus ia transformando a tristeza em alegria. “Lembro-me de uma vez que eu estava em meu quarto orando e Deus falou comigo, para que eu não abortasse o seu sonho, a vida inteira meu sonho foi ser mãe, e Deus falava comigo que Ele não havia me dado uma fissura para que eu amasse, mas que Ele tinha me dado uma filha! E isso mudou o meu viver. Depois dessa palavra eu sabia que eu tinha uma filha e que eu não ia deixar de sonhar com sua chegada, com seu cheirinho, eu só queria a minha filha comigo indiferente de como ela seria eu queria a minha filha, o meu sonho, salienta a jovem.

 

Quando Laura nasceu. Raquel e Cristiano já estavam anestesiados com o amor da Igreja e do Senhor por eles e desde a hora do parto, a vida da pequenina já foi um grande milagre. Raquel conta que “minha médica na hora do parto, chorou ao ver o Cristiano cantando Princesa Linda Demais, perfeita aos olhos do Pai, e me disse que nunca tinha feito um parto tão bonito”. A média ainda informou ao casal que eles não teriam necessidade de acompanhamento psicológico, como é comum nesses casos, porque via que eles eram diferentes e que já estavam bem acompanhados. “No dia do o parto, vários irmão da Igreja foram ao hospital e encheram o quarto com cartazes com versículos. Eu tive a Laura longe da minha família carnal, mas a minha família em Cristo esteve sempre presente” lembra emocionada a mãe da pequena Laura.

 

Com o nascimento da filha, o casal Cristiano e Raquel pôde ver de forma extraordinária o agir de Deus na vida deles. “Vimos que Deus tinha curado ela de outra forma, a cura veio na sua recuperação. Tudo que os médicos me diziam na gravidez que um bebê fissurado teria a Laura não teve. Estes bebês engasgam muito ao se alimentar, a Laura nunca teve um engasgo. Eles nascem com outras anomalias, problema no coração, faltando alguns dedos, têm dificuldade para ganhar peso, e nada disso a Laura teve. Pelo contrário ela era espertinha com os olhinhos sempre atentos a tudo” conta Raquel feliz da vida com o agir de Deus.

 

A primeira cirurgia foi feita com 3 meses e foi perfeita. Deus agiu e todos os médicos que ela já visitou elogiam a cirurgia do lábio, que foi perfeita. Com 1 ano e 6 meses, Laura foi liberada da fonoaudióloga porque não havia nada para ser feito. Ela não era fanha algo que normalmente os fissurados são e então a família e todos que conheciam a história puderam contemplar a cura na vida dela. Hoje a pequena Laura está na fase de dentição e a dentista sempre surpreende aos pais com boas noticias. A menina tem uma falha na gengiva onde se imaginava a necessidade de um implante, mas nesse lugar, Laura tem 4 dentes, o que só comprova o agir de Deus. “Hoje eu vejo o milagre e a cura na vida da Laura e sei por que Deus não permitiu que ela nascesse curada, pois depois do nascimento dela, já fomos procurados por 3 mães que receberam o mesmo diagnostico que o dela e ficaram sabendo da paz que nós tivemos para lidar com a situação e pudemos glorificar o nome de Deus para essas pessoas. Creio que é isso que Deus tem para a vida da Laura que ela sempre glorifique seu nome, que ela tenha uma história para contar e dizer para o mundo que Cristo é um Deus de cura e refrigério” finaliza Raquel.